quinta-feira, 21 de abril de 2016

MIGUEL TORGA E OS SEGUROS



"Faça um seguro...

-Deus me livre!

-Olhe que é útil! Morre-se, recebem os herdeiros; tem-se um desastre, pagam-nos o hospital; fica-se inválido, dão-nos uma pensão...

-Não teime. Eu gostava de me segurar mas para não morrer, para nunca ficar inválido, para não ser esmagado por nenhum automóvel...Agora segurar-me para depois dessas desgraças, não me interessa. Se o destino me ganhar o jogo, quero que ele assuma a responsabilidade do que fez!"

Miguel Torga em Coimbra, 4 de Novembro de 1948, no seu Diário III


Sem comentários:

Enviar um comentário